ONDAS E ANTENAS:

(Fonte: CiBi Hilton A. de..Mello / Antenas Para Radioamadores e Faixa do Cidadão Seltron / BI PY3PXY)

 

     Cabo Coaxial :

 

Cabo Coaxial: O Cabo Coaxial, sempre apresenta polêmica, pois é das mais variadas marcas, cores , tipos, e até "homagem", ai descamba-se para o item "gosto", e como já diz o ditado " gostos, cores e amores não se discute". Em nosso caso somos obrigados a discuti-lo pois o Coaxial é de vital importância para bom o funcionamento de qualquer estação.

A tarefa do cabo coaxial é transportar a energia que é gerada pelo transmissor até a antena, para daí ela ser irradiada para o "éter". Dai a preocupação de não se acionar o PTT do equipamento sem estar este conectado ao sistema irradiante, pois se o cabo coaxial é o responsável pelo transporte da energia gerada no transceptor até a antena estiver desconectado, esta energia não terá saída e fatalmente seu equipamento será danificado, tal qual um balão sendo inflado e não tendo nenhuma válvula de escape.

Na recepção a antena capta os sinais irradiados por outras estações e é o cabo coaxial que transporta essa energia até os circuitos receptores de seu transceptor.

Observando-se os cabos coaxiais fabricados no Brasil (Fig.1) encontraremos a existência de um condutor central (fios trançados de cobre), de um dielétrico (polietileno), que tem o aspecto branco leitoso, de uma malha trançada que é a blindagem do cabo (cobre estanhado), e de uma cobertura que protege o cabo externamente (pirevinil), de cor preta.

"...economizar na aquisição do cabo coaxial e dos conectores poderá comprometer o bom desempenho de qualquer estação, amadora ou não..." PY3PEP Paulo E. Padilha

 

 

Normalmente a impedância de saída dos transceptores é de 50 ohms, enquanto a impedância dos coaxiais pode ser de 50 ou 52 ohms. Essa pequena diferença todavia não cria maiores problemas e pode funcionar como uma tolerância para atender às variações normalmente existentes no ponto de alimentação das antenas. É sempre bom lembrar que nenhum cabo, como qualquer tipo de condutor é perfeito, uma vez que, por menor que seja, há sempre uma perda, da qual, decorre a conhecida "atenuação". Essa atenuação aumenta com a freqüência e também varia proporcionalmente com a temperatura. (Fig.2)

Essas perdas naturais nos cabos, são sempre provenientes da resistência longitudinal e do dielétrico, e para diminuí-la, os cabos usados na FC e em Radioamadorismo usam um isolamento de polietileno, enquanto algumas estações comerciais ainda se utilizam de cabos com ar ou gás sob pressão funcionando como dielétrico. Os tipos mais usados são o RG 58C/U e o RG 213U. Suas principais características para trabalho em 27Mhz, são as seguintes:

Tipo

Impedância

Vel. Propag.

Relativa

Capacitância

(pF/m)

Atenuação

(db/100m) a 20°

O tipo de cabo coaxial a ser usado deve levar em conta alguns fatores tal

RG 58C/U

50

67%

101

8

como a distância entre o transceptor

RG 213U

50

67%

101

3,.3

e a antena pois comprimentos

excessivos levam a grandes perdas em potência e em conseqüente deficiência em longos alcances. Conforme consta em publicações pertinentes a esta matéria, para comprimentos superiores a 15 metros, já se pode empregar o cabo coaxial tipo RG 213U. Usando-se o cabo RG 58C/U nessa mesma hipótese a perda pode ser de 1db, o que eqüivale a 20% da potência com a estacionária em 1.1:1. Se a R.O.E. é de 2.0:1. a perda poderá atingir 4% a mais. Em termos práticos, seu transceptor tem 4Watts de saída em AM, a antena estará recebendo menos de 3watts. Quando são necessários mais de 20 metros de coaxial, o tipo RG 213/U é sempre o mais indicado.

Os cabos coaxiais com impedância de 50 e de 75 Ohms, fabricados pela Pirelli e conhecidos como os famosos KmP obedecem a seguinte tabela.

IMPEDÂNCIA DE 50 Ohms

IMPEDÂNCIA DE 75 Ohms

 

TIPO

AT

VP

C

ø E

Aplicações

TIPO

AT

VP

C

øE

Aplicações

Na tabela ao lado devemos observar que cada aplicação corresponde a um tipo de coaxial.

Por tanto não devemos fazer qualquer tipo de improviso pois estaremos tendo perda de sinal e certamente não faremos economia relativa a toda esta perda.

RG058C/U

 

CÓD.

401.004

9,00

16,80

29,10

67

101

4,95

Radiocomunicação

Radiodifusão

Telefonia

Antenas V/UHF

Informática

RG011 A/U

 

CÓD.

401.003

3,61

6,92

12,80

67

67

10,30

CATV;CCTV

Sist. V/UHF

Telefonia

Informática

Automação

RG 215/U

CÓD.

401.029

3,40

6,80

12,60

67

101

11,7

Telefonia

Automação

Radiodifusão

HF, VHF e UHF

RG012BBY

CÓD.

401.031

3,90

7,17

13,10

67

67

15,00

Estaleiros

Inst. Militares

Automação

Para sua tranqüilidade consulte as tabelas fornecidas pelos fabricantes e não deixe de seguir conselhos dos colegas mais experientes. Outro item que deve ser sempre observado é o

RG 219/U

CÓD.

401.040

1,70

3,50

7,30

67

101

23,5

Alta Potência

Instal. Militares

Estaleiros

Automação

RG216/U

CÓD.

401.011

3,72

6,97

12,90

67

67

10,80

CATV.CCTV

Sist. V/UHF

Telefonia

Automação

fator emenda. Pois uma emenda não deve ser feita sem atenção requerida, de vendo sempre ser com dois conectores e uma emenda, devendo ser recoberto por fita de alta fusão, que inibe a umidade excessiva e torna perfeita a conexão.

RGC 058

Celular

CÓD.

401.045

5,16

9,49

16,64

82

82

5,0

Informática

Radiodifusão

Automação

Rede Ethernet

RGC011

Celular

CÓD.

401.039

2,10

3,80

6,80

82

54

10,30

CATV.CCTV

Sist. V/UHF

Telefonia

Informática

 

 

RF 50

0,9/2,9 DT

CÓD.

401.034

9,20

16,50

30,10

67

101

5,5

Radiocomunicação

Radiodifusão

Telefonia

Informática

RG059B/U

CÓD.

401.001

6,39

11,97

21,90

67

67

6,15

CATV.CCTV

Sist V/UHF

Informática

Automação

 

RG 213/U

CÓD.

401.002

3,40

6,80

12,60

67

101

10,3

Radiocomunicação

Radiodifusão

Telefonia

Ant. V/UHF

RGC 059

Celular

CÓD.

401.038

4,20

7,90

14,40

82

54

6,20

CATV.CCTV

Sist. V/UHF

Telefonia

Informática

 

RG 218/U

CÓD.

401.030

1,70

3,50

7,30

67

101

22,1

Alta Potência

Automação

Sist. Militares

RG 012 U

CÓD.

401.018

3,90

7,17

13,10

67

67

11,70

Estaleiros

Rádio e TV

Automação

 

RFE 214

 

CÓD.

401.019

3,00

6,50

11,80

67

101

10,8

Sist. Auxiliares

de radiodifusão

Antenas V/UHF

Telefonia

Automação

RF75

0,5/3,0 (DT)

CÓD.

401.006

7,90

15,30

30,00

67

67

5,60

Informática

Videogames

Televisores

Eq. Eletrônicos

 

 

RGC 213

Celular

CÓD.

401.041

2,29

4,25

7.57

82

82

10,30

Informática

Rede Ethernet

Radiodifusão

Automação

RF75

0,4/2,5 (T)

CÓD.

401.017

9,70

16,90

32,00

67

67

4,00

Informática

Multiplex

Videogame

TV e Vídeo

 

SIMBOLOGIA: AT: Atenuação (dB/100m), em 30-100 e 300mhz - IMP: Impedância nominal (Ohms) - VP: Velocidade de propagação relativa ( % ) - C: Capacitância nominal (pF/m) - øE: Diâmetro externo do cabo (mm) - [FONTE: KmP - Pirelli]

 

 

Instalações: Conforme comentado no BI anterior, quando instalamos uma antena, normalmente e até por instinto procuramos o ponto mais alto e mais livre, isto é sem obstáculos que venham a atrapalhar nossos contatos. Porém nem sempre estes pontos são os mais favoráveis com relação ao comprimento do cabo coaxial, pois se residimos em um ponto alto e ao nosso redor não existe edificação de maior complexidade, ou se moramos no último andar de um edifício, tudo bem. Neste caso apenas alguns metros de coaxial serão necessários para que tenhamos nosso sistema irradiante funcionando com um mínimo de perda.

Porém se nossa situação geográfica não é a mais privilegiada obviamente lançaremos mão de metros e metros de torres, canos, e outros mais, o que ocasionará igual aplicação de cabo coaxial para que possamos ligar nosso transceptor a antena. A melhor saída jamais passará por um amplificador linear (bota) pois se assim você proceder, estará dando "sopa" para o azar e alimentando, com certeza a interferência nos aparelhos de TV de sua vizinhança. O mais correto tecnicamente é recorrer ao uso de uma antena de alto ganho.

Por exemplo, se você usar uma antena com 4dB de ganho sobre o dipolo, ela atenuará a potência de saída irradiada 2,5 vezes. Dessa maneira, com o um rádio de 4 watts de saída AM, mesmo que a atenuação chegue a 2dB, a compensação dada pela antena fará com que sua transmissão saia com 7 watts de potência efetivamente irradiada. Com isso, consegue-se um acréscimo de potência sem o "famigerado" uso de amplificadores lineares.

ALGUMAS DICAS PARA MONTAGEM DE CABOS E CONECTORES

Na figura 1, usando um coaxial RG 213 deveremos remover 26mm da capa de vinil e expor 16mm do condutor central. Aparar a blindagem expondo 1,6mm do dielétrico. Deve-se estanhar o condutor central e a blindagem.

Conforme demonstra a figura 2 deveremos introduzir o conector rosqueado no cabo coaxial até o limite máximo. Após feito isto retire a blindagem e solde nos furos existentes. O passo seguinte é soldar o condutor central no pino do conector. Para completar, rosquear a capa.

MONTAGEM DOS CABOS USANDO OS REDUTORES 50-R1 E 50-R2

Conforme mostra a figura 3, cortar a ponta do cabo e remover 19mm da capa de vinil, não esqueça de introduzir a capa do conector e o adaptador-redutor no cabo, pois se insto não for feito neste momento lhe causará transtornos.Na figura 4 é demonstrado o detalhe a ser observado que é a dobra da blindagem para trás. A seguir, conforme ilustrado na figura 5, deve-se encostar o adaptador-redutor. Acomodar corretamente a blindagem sobre a parte extrema do redutor. Expor 16mm do condutor central e estanha-lo.Conforme ilustra a figura 6, deveremos introduzir o conector rosqueado no redutor. Retirar a blindagem etravés dos furos do conector e soldar.Soldar o condutor central no pino. Para completar, rosquear a capa.

Salientamos que existem maneiras, e maneiras de se estanhar um conector na extremidade de um cabo coaxial. Esta é apenas uma delas, e esperamos estar contribuindo para o enriquecimento de seus conhecimentos, e assim facilitando suas tarefas.